PERCEPÇÃO SOCIOAMBIENTAL DAS LAGOAS DO GELADINHO E DO PRATO RASO EM FEIRA DE SANTANA-BA

Eliana Ferreira de Freitas, Priscila Silva Ribeiro, Jean da Silva Santos

Resumo


A água é um importante recurso natural para a humanidade e vem sendo utilizada de forma desordenadapelas sociedades contemporâneas. No caso das lagoas urbanas, sua existência está comprometida pela ocupação desordenadado espaço geográfico, poluição dos mananciais hídricos a par e passo com o crescimento desenfreado doscentros urbanos, intervenção do homem sobre as características naturais e, principalmente, pela especulação imobiliária,cujo objetivo principal é construir imóveis que gerem lucros, causando danos ao meio ambiente, a exemplo doaterramento de lagoas urbanas. A urbanização acelerada produzida pela produção capitalista do espaço, em muitoscasos de forma desordenada, sem planejamento, faz com que a população ocupe qualquer área da cidade, seja ela derisco ou não, de forma a negligenciar os danos ambientais que tal atitude envolve. Tal percepção sobre a cidade noslevou a um processo de leitura sobre o tema, despertando nossa consciência para a importância da conservação dasfontes hídricas de Feira de Santana – BA. Ao promovermos uma análise mais acurada da Lagoa do Geladinho e daLagoa do Prato Raso, localizadas na área urbana da referida cidade, foi possível verificar o descaso do poder públicono tratamento desigual destacado para ambas as lagoas, bem como por parte da população local, sendo esta populaçãoconstituída por moradores ou empresários que aterraram seu leito para a construção de empreendimentos comerciaisou moradias, além da degradação visivelmente promovida pelo descarte de resíduos líquidos e sólidos.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.